Meu vizinho me comeu no sofá

Certa vez, eu estava em um apartamento que ficava de frente ao colégio onde a minha mãe trabalhava e meu vizinho me comeu.

Meus vizinhos eram um casal de senhores de idade e um homem muito bonito, chamado Márcio. Ele devia ter mais de 1,80m de altura, tinha um sorriso muito bonito e sempre se mostrava educado quando nos encontrava no corredor ou no elevador.

Quando a gente acabava se esbarrando, ficávamos conversando por vários minutos, até que a minha mãe me chamava pra dentro, pra eu ajudar com alguma coisa. Na época em que as coisas aconteceram, eu tinha 19 anos e ele tinha 25. Para a minha sorte, pude ter uma chance com aquele homem divino.

Numa segunda-feira, por volta das duas da tarde, eu separei um pedaço de lasanha pra levar pro Márcio, já que não ficava muito distante do meu apartamento. Saí no corredor e bati na porta dele. Ele me atendeu sem camisa, secando os cabelos com uma toalha enquanto me olhava de cima.

Só aquela visão já foi o suficiente pra eu ficar toda molhadinha de uma única vez. Entreguei o pedaço de lasanha pra ele e ele me pediu pra entrar. Como minha mãe estava no trabalho, eu decidi que não seria um problema, afinal, o Márcio era muito gostoso e seria loucura dispensar aquele convite.

Meu vizinho me comeu

Ele disse pra eu ficar esperando na sala enquanto se trocava e fiquei de pé, depois de ter colocado a lasanha em cima da mesa da cozinha. Márcio voltou pouco depois, vestindo uma bermuda e uma regata. Sentamos no sofá e começamos a falar sobre o nosso dia. Ele trabalhava num estúdio de tatuagem e tinha um escorpião tatuado no braço.

Enquanto conversávamos, em um momento Márcio tocou a minha coxa e ficou me olhando nos olhos. Ele falou que eu era muito bonita e que sempre sonhou em namorar uma garota como eu. Fiquei completamente vermelha e tentei desconversar, mas ele insistiu. Quando percebi, estávamos nos beijando, com ele caindo em cima de mim no sofá.

Não demorou muito pra que ele tirasse a própria regata e minha blusa. Jogou as peças de roupa no chão, puxou minha coxa pra cima e ficou esfregando o pau duro contra a minha buceta coberta pelo short jeans. Eu gemia, ainda muito tímida, puxando o cabelo dele, enfiando as unhas contra o couro cabeludo.

Depois, ele tirou a própria bermuda e perguntou se podia me comer. Eu não desperdiçaria essa oportunidade por nada. Abri as minhas pernas e, pra minha sorte, a depilação estava em dia. Márcio encaixou só a cabecinha no começo, mas depois colocou de uma vez só, me fazendo gemer alto.

Enquanto ele me comia, eu segurava nos ombros dele, deixando arranhões, uma forma de marcá-lo pra um próximo encontro. Ele me colocou de lado e me comeu até gozar, soltando um urro de prazer. Aquela foi a foda mais incrível e mais deliciosa da minha vida.

Meu vizinho me comeu e depois acabamos comendo a lasanha juntos e, de vez em quando, quando minha mãe não está em casa, eu dou um pulinho no apartamento dele.

Meu vizinho me comeu no sofá
Meu vizinho me comeu no sofá